Campanha da Fraternidade 2016 é oficialmente aberta em Pindamonhangaba em Sessão Solene na Câmara de Vereadores

por Administrador publicado 20/02/2016 22h00, última modificação 07/03/2016 09h52
Com o tema “Casa Comum, Nossa Responsabilidade” e o lema “Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca”, a Campanha da Fraternidade deste ano nos leva a reflexão sobre o saneamento básico
Campanha da Fraternidade 2016 é oficialmente aberta em Pindamonhangaba em Sessão Solene na Câmara de Vereadores

População lotou o Plenário na Sessão Solene de abertura da Campanha da Fraternidade 2016

Com o Plenário lotado, sob a presidência do vereador Roderley Miotto (PSDB), a Câmara de Pindamonhangaba realizou no último dia 17 de fevereiro, a Sessão Solene de abertura oficial da Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016.

A Sessão contou ainda com a presença dos vereadores: José Carlos Gomes – Cal (PTB) e Carlos Eduardo de Moura – Magrão (PPS) e as seguintes autoridades: professora Maria Aparecida Pedroso Rocha Pena, Secretária de Educação e Cultura, representando o prefeito Vito Ardito Lerario; Tenente Eduardo Hercádio de Souza, representando o Major Paiva, Comandante da 11ª Companhia de Engenharia e Combate de Pindamonhangaba; Padre Leandro Alves de Souza, Assessor Diocesano da Campanha da Fraternidade e orador oficial da sessão e os padres: Geraldo Lelis de Andrade, da Paróquia São Cristóvão; Cônego Francisco Carlos Euzébio - Pe. Chiquinho; José Nicomedes Rosa, da Paróquia São Cristóvão; Cônego Luiz Carlos de Souza, da Paróquia Nossa Senhora do Bonsucesso; Vitor Hugo Porto, Decano de Pindamonhangaba, da Paróquia Nossa Senhora das Graças e o Diácono João Bosco da Silva Ramos, da Paróquia São Vicente de Paulo.

Em sua fala, o orador oficial, padre Leandro de Souza, disse que está é uma Campanha da Fraternidade Ecumênica, e tem como temática "Casa Comum, Nossa Responsabilidade" e o lema: "Quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca" (Am 5:24). Por ser ecumênica, esta é uma campanha mais abrangente, elaborada pelo CONIC – Conselho Nacional de Igrejas Cristãs, que somando forças com todas as igrejas cristãs para a elaboração desta Campanha da Fraternidade, focalizando a reflexão tendo em vista o saneamento básico.

O lema, tirado da profecia de Amós 5:24, traz uma provocação porque ele compara o direito e a justiça com a água. E sabemos que se não cuidarmos deste bem natural, ele acaba, pelo menos a água potável. "Se não zelarmos pela pessoa humana, pelos seus direitos, promovendo a justiça social, corremos o grande risco de viver uma cantareira social, no sentido de justiça, de direito. Então o profeta nos provoca a ter esta atenção em relação ao direito e a justiça da pessoa", destaca o padre Leandro.

A Campanha da Fraternidade deste ano nos leva ao objetivo geral que é o de assegurar o direito ao saneamento básico para todas as pessoas e empenhar-mo-nos, à luz da fé, por políticas públicas e atitudes responsáveis que garantam a integridade e o futuro de nossa casa comum. "O direito ao saneamento é para todos e não para algumas pessoas".

São oito os objetivos específicos da Campanha da Fraternidade 2016:

  1. Unir igrejas, diferentes expressões religiosas e pessoas de boa vontade na promoção de justiça e do direito ao saneamento básico. "Este objetivo como é uma campanha ecumênica, nos expressa a sua finalidade de buscar uma comunhão, não só com as outras denominações cristãs, mas toda a população", explica o Padre Leandro;
  2. Estimular o conhecimento da realidade local em relação aos serviços de saneamento básico;
  3. Incentivar o consumo responsável dos dons da natureza, principalmente da água;
  4. Apoiar e incentivar os municípios para que elaborem e executem seu Plano e Saneamento Básico;
  5. Acompanhar a elaboração e a excussão (execução) dos Planos Municipais de Saneamento Básico;
  6. Desenvolver a consciência de que políticas públicas na área de saneamento básico apenas tornar-se-ão realidade pelo trabalho e esforço em conjunto;
  7. Denunciar a privatização dos serviços de saneamento básico, pois eles devem ser política pública como obrigação do estado;
  8. Desenvolver a compreensão da relação entre ecumenismo, fidelidade à proposta cristã e envolvimento com as necessidades humanas básicas. Traduzindo esse objetivo: "Não se separa a fé, da vida!", enfatiza o sacerdote.

 

Finalizando, padre Leandro deixou uma reflexão: "Qual natureza, qual ambiente entregaremos para as nossas gerações futuras?".

O evento foi abrilhantado pela Banda Kyrios Reggae que, além de canções religiosas, interpretou o Hino da Campanha da Fraternidade 2016. O grupo de Jovens Maranathá, da Paróquia Nossa Senhora das Graças, realizou uma apresentação lúdica sobre o tema da campanha ecumênica.

Em seguida, a senhora Maria Aparecida Pedroso, leu uma carta aberta, a "Carta de Moreira César", dos moradores do bairro Vale das Acácias, de Moreira César. Nele, a comunidade sai em defesa do riacho Barranco Alto que, segundo o manifesto, nos últimos 20 anos está morrendo gradativamente, com o desaparecimento dos peixes, a baixa vazão, o descarte de lixo e do esgoto de moradores da região. O riacho Barranco Alto corta todo o distrito de Moreira César e a população pede que as autoridades façam alguma coisa para que ele não pereça.

Falando em nome do Prefeito Vito Ardito, a Secretária de Educação, Maria Aparecida Pedroso Rocha Pena, destacou a mensagem e a missão apresentada pelo orador, padre Leandro, o quão pouco temos feito e o quanto ainda temos que fazer quanto ao saneamento básico. Precisamos dar a nossa efetiva participação e contribuição para deixar um mundo melhor para nossos filhos, mas precisamos ter pessoas melhores, para o mundo que queremos construir. A Secretária enfatizou, ainda, a questão da campanha de prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor da dengue, zika e chikungunya, que também tem a ver com o tema saneamento básico. A professora conclamou os pais e os alunos a participarem neste próximo sábado, dia 20, nas escolas - que estarão abertas - da grande campanha de movimentação, orientação e discussão para o combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

O representante do Exército Brasileiro, tenente Eduardo Hercádio disse que as Forças Armadas têm participado junto com as prefeituras de um grande combate a este inimigo invisível. "Não é uma guerra, mas mata tanto quanto uma", afirma o oficial. A participação dos militares no combate ao mosquito da dengue tem sido primordial na colaboração junto às autoridades sanitárias de todo o país. Ele falou, ainda, que o exército está pronto a participar de todas as ações em benefício a nossa população.

Ao finalizar, o vereador Roderley Miotto, presidente da Sessão Solene, destacou uma petição, entregue aos religiosos, da ONG S.O.S. Mata Atlântica, que se uniu à Campanha da Fraternidade pelo papel fundamental da igreja de conscientização e mobilização. A ONG pede o apoio da igreja para colher o maior número de assinaturas no manifesto que será encaminhado às nossas autoridades. O documento destaca: "Saneamento para todos já! Água limpa, pelo fim dos rios mortos e praias contaminadas no Brasil. Assinamos esta petição pela universalização de saneamento, fim de rios mortos e por água limpa nos mananciais, no mar e nas praias...".

Encerrando, Roderley Miotto afirmou que: "temos que ter orgulho de sermos católicos e, principalmente, num momento como esse em que a igreja faz, pela 4ª vez, uma campanha ecumênica, onde ela se abre para que as outras denominações religiosas venham nos ajudar neste trabalho extremamente sério". Ele ainda afirma: "é grande o número de pessoas que se manifestam nos meios de comunicação e nas redes sociais parabenizando a igreja pela seriedade desta campanha. Porque se temos tantas mortes, principalmente de crianças, é porque infelizmente nós só temos 39% de esgoto tratado no Brasil. E hoje, as grandes doenças vem por falta desse saneamento básico. Precisamos olhar pelos nossos irmãos que não possuem água e esgoto tratados e entender que a força de despertar e de mobilizar de nossas igrejas é que farão a grande diferença no sentido de mudar essa situação. É uma união verdadeira, viva, de um povo que quer mudança", conclui o vereador Roderley Miotto.

Divisão de Comunicação/lcp

19 de fevereiro de 2016 - 13h50