Legislativo de Pindamonhangaba participa, por mais um ano, da campanha Maio Amarelo

por Luiz Carlos Pinto publicado 14/05/2018 14h34, última modificação 14/05/2018 14h34
Com o mote “Nós somos o trânsito” o Movimento chega à sua 5ª edição e fomenta na sociedade discussões e atitudes voltadas à necessidade urgente da redução do número de mortes e feridos graves no trânsito. O tema foi discutido amplamente com a AND - Associação Nacional de Detrans e foi apresentado em reunião do Contran - Conselho Nacional de Trânsito

Atendendo a determinação do presidente, vereador Carlos Moura – Magrão (PR), a Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba por mais um ano aderiu a campanha Maio Amarelo – “Nós Somos o Trânsito”, onde divulga através da TV Câmara, no período que antecede as transmissões das sessões ordinárias e nos monitores internos, vídeos disponibilizados pela campanha que trata basicamente do tema.  O Movimento Maio Amarelo nasceu com uma só proposta: chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito de todo o mundo.

O Maio Amarelo surgiu em Indaiatuba, sendo lançado pelo Observatório Nacional de Segurança Viária – que tem a sua coordenação, mas trata-se de uma ação multissetorial, envolvendo todos os segmentos sociais para conscientizar a sociedade a assumir comportamentos mais seguros no trânsito e mudar o cenário de violência, que mata e sequela milhões em todo o mundo.

A proposta é colocar em pauta, de forma permanente, o tema trânsito para toda a sociedade, destacando que o trânsito deve ser seguro, em todas as situações para todos; incentivando a participação da população, empresas, governos e entidades, no trabalho de conscientização e prevenção de acidentes.

Assim como em 2017, o tema de 2018 propõe o envolvimento direto da sociedade nas ações e propõe uma reflexão sobre uma nova forma de encarar a mobilidade. Trata-se de um estímulo a todos os condutores, seja de caminhões, ônibus, vans, automóveis, motocicletas ou bicicletas, e aos pedestres e passageiros, a optarem por um trânsito mais seguro.

“Os acidentes não acontecem por acaso, mas sim são frutos de escolhas inadequadas e arriscadas. A maioria dos acidentes são motivados por falhas humanas como imperícia, imprudência e desatenção. Somos todos responsáveis pelos nossos atos no trânsito e ter consciência disso é um dos caminhos para a reverter este triste cenário”, ressalta o vereador Magrão.

Países mobilizados pela segurança no trânsito

O Maio Amarelo já está presente em 23 países de cinco continentes: Angola, Argentina, Austrália, Áustria, Benin, Brasil, Camarões, Costa do Marfim, Espanha, Estados Unidos, Geórgia, Holanda, Índia, Marrocos, México, Moçambique, Portugal, Quênia, Reino Unido, República Dominicana, Tunísia, Vietnã, Uruguai.

Símbolo do Movimento

O laço usado como símbolo do Maio Amarelo já é um velho conhecido. Utilizado também em outros movimentos, como o Outubro Rosa, de combate ao câncer de mama, e o Novembro Azul, que combate o câncer de próstata, ele estimula atividades voltadas à conscientização e ao debate sobre os assuntos a que se refere. A cor amarela foi escolhida por ser a cor de advertência no trânsito. Mas por que o laço, que, até então, era usado para chamar atenção de doenças, foi escolhido para o trânsito? Porque os acidentes de trânsito são considerados uma epidemia. O trauma é uma doença e, portanto, na maioria dos casos, pode ser evitado. É isso o que o Movimento quer passar.

Por quê Maio?

A escolha do mês de maio para marcar essa mobilização foi motivada pelo fato da ONU (Organização das Nações Unidas) ter instituído a Década de Ação para Segurança no Trânsito, num mês de maio, em 2011. A cor amarela foi escolhida por simbolizar Atenção no trânsito. E o laço remete e à preservação da vida, imagem que também é usada em diversos movimentos, com cores diferenciadas. Basta lembrarmos a conscientização o laço da campanha contra a AIDS, em dezembro; o Outubro Rosa, movimento de conscientização contra o câncer de mama; e assim por diante.