Plenário confirma concessão de Medalha Athayde Marcondes ao senhor Joaquim da Figueira e denominação de rua do Residencial Araguaia, em Moreira César

por Luiz Carlos Pinto publicado 23/11/2016 10h28, última modificação 23/11/2016 10h28
Decreto Legislativo n° 03, de 03 de setembro de 2013, que institui a honraria determina que o nome do homenageado seja apresentado pelo Conselho Municipal de Cultura. Joaquim José Eugênio - Joaquim da Figueira foi o indicado deste ano
Plenário confirma concessão de Medalha Athayde Marcondes ao senhor Joaquim da Figueira e denominação de rua do Residencial Araguaia, em Moreira César

Joaquim da Figueira é homenageado "post mortem" com a Medalha Athayde Marcondes e parlamentares aprovam denominação de rua do Residencial Araguaia

Por ocasião da realização da 42ª Sessão Ordinária, no último dia 21 de novembro, no Plenário do Palácio Legislativo “Dr. José Geraldo Rodrigues Alckmin”, da Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba, por unanimidade os edis aprovaram o Projeto de Lei n° 117/2016, de autoria do vereador Carlos Eduardo de Moura – Magrão (PR), que “denomina a Avenida 06 (seis) do Residencial e Comercial Araguaia, em Moreira César de Avenida Joel Batista de Oliveira”.

Joel Batista de Oliveira

Natural de Ribeirão dos Índios - SP, Joel nasceu no dia 07 de outubro de 1943, filho de Luiz Batista de Oliveira e Lazara Ferreira Estrela de Oliveira. Veio para Pindamonhangaba em 2000, é casado com Sônia Terezinha Cardoso de Oliveira, com quem tem quatro filhos: Joelma, Ricardo, Sandra e Marcelo. Foi membro da Pastoral e integrante do coral da Paróquia São Vicente de Paulo, no Distrito de Moreira Cesar. Participou do Grupo Terapia e Lazer para 3ª. Idade, foi Presidente do CIMC – Conselho de Idosos de Moreira César (2008/2009), atuou no Conselho Gestor de Saúde do município, representando a cidade de Pindamonhangaba em Brasília na Conferência de Saúde em 2007. Como atleta, representou o município no Jomi, Jori, Corrida de São Silvestre (São Paulo), Corrida General Salgado (Taubaté), entre outras.


Medalha do Mérito Athayde Marcondes

Incluso na Ordem do Dia, o Projeto de Decreto Legislativo nº 02/2016, de autoria do vereador José Carlos Gomes – Cal (PTB), que “concede a Medalha do Mérito Athayde Marcondes” a Joaquim José Eugênio – Joaquim da Figueira, foi aprovado por unanimidade pelos parlamentares.

Instituída pelo Decreto Legislativo n° 03, de 03 de Setembro de 2013, a Medalha do Mérito Athayde Marcondes tem por finalidade homenagear um cidadão, uma empresa ou instituição que tenha contribuído destacadamente para a história e a cultura do município de Pindamonhangaba.

Reunido o colegiado do Conselho Municipal de Cultura de Pindamonhangaba deliberou em sua reunião ordinária de 30 de agosto de 2016, apoiar a solicitação do Conselho Municipal de Patrimônio Histórico, Cultural, Ambiental e Arquitetônico para que a Medalha do Mérito Athayde Marcondes seja outorgada em 2016 “post mortem” ao senhor Joaquim José Eugênio, o Joaquim da Figueira, por sua significante atuação na preservação da Figueira das Taipas, contribuindo assim para a preservação da cultura de Pindamonhangaba.

Joaquim José Eugênio – Joaquim da Figueira

Um dos primeiros moradores do Bairro das Taipas, tradicional bairro do Distrito de Moreira César, citado desde 1817 por viajantes e estudiosos estrangeiros como passagem e pernoite em uma venda ali existente a margem da estrada.

O mais conhecido morador e comerciante do bairro foi o senhor Joaquim José Eugênio, o “Joaquim Português”, ou “Joaquim da Figueira”, como era conhecido. Conforme informação de Joaquim Eugênio, filho do Joaquim Português, aquelas terras foram adquiridas pelo seu avô materno, o Sr. Barbieri, e o Joaquim Português casando-se com a filha do Sr. Barbieri, herdou as terras onde viveu por toda vida, teve seu armazém, o restaurante e lavoura.

Joaquim Português comandava com severidade todos os seus bens, mas foi um líder incontestável da comunidade. Foi parteiro, enfermeiro, inspetor de quarteirão (autoridade que representava o poder policial na época). Injeções eram aplicadas por ele nos moradores do bairro, conforme depoimento de seu filho Joaquim Eugênio.

Era também um ferrenho defensor da figueira, sempre cuidando para que a mesma ofertasse uma bela sombra com sua frondosa folhagem.

O restaurante do Joaquim Português, por se situar na antiga rodovia São Paulo — Rio era frequentado por viajantes, “caminheiros” e políticos da região que iam saborear o famoso cabrito assado, especialidade do “seo” Joaquim.

Joaquim Português nasceu em 1900 e faleceu em 1995. Aos 95 anos, no dia de seu falecimento, ele se despediu tomando uma garrafa de vinho. Viveu e morreu com valentia e ousadia, como se entendia no contexto da época.


Próxima Sessão Ordinária

A Câmara de Pindamonhangaba realizará a 43ª Sessão Ordinária no dia 28 de novembro, segunda-feira, a partir das 18 horas no plenário “Francisco Romano de Oliveira”. O Palácio Legislativo “Dr. Geraldo José Rodrigues Alckmin” está localizado na rua Alcides Ramos Nogueira, 860 – Mombaça. A sessão é aberta à população, com transmissão “ao vivo” pela internet no portal www.pindamonhangaba.sp.leg.br.