Projetos ambientais são apresentados em reunião da Comissão de Educação e Cultura da Câmara

por Robson Luis Monteiro publicado 04/08/2017 09h10, última modificação 07/08/2017 16h49
Encontro de trabalho ocorreu nesta quarta-feira, dia 02 de agosto, no Auditório Vitório Cassiano e reuniu autoridades e educadores da cidade
Projetos ambientais são apresentados em reunião da Comissão de Educação e Cultura da Câmara

Em reunião produtiva, membros da Comissão de Educação da Câmara e autoridades conheceram projetos ambientais da cidade

A Comissão Permanente de Educação, Cultura Turismo e Esporte da Câmara de Pindamonhangaba promoveu mais uma reunião de trabalho nesta quarta-feira, dia 02 de agosto, no Auditório Vitório Cassiano (sede do Legislativo) com a participação de diversas autoridades de Pindamonhangaba e de professores das Redes Estadual e Municipal de Ensino. O evento foi presidido pelo vereador Ronaldo Pinto de Andrade - Ronaldo Pipas (PR). Os vereadores Renato Nogueira Guimarães – Renato Cebola (PV) e Gislene Cardoso – Gi (DEM) justificaram a ausência. Participaram da reunião, os integrantes do Núcleo Pedagógico da Diretoria de Ensino de Pindamonhangaba, professores Cristiane Cristina Olímpio e Renato Guaycuru Mendonça; o Diretor do Meio Ambiente de Pindamonhangaba, Professor Frederico Lúcio de Almeida Gama e o representante do Secretário de Educação e Cultura da cidade, Carlos José Laurindo Lemes.

No início dos trabalhos, o Presidente da Comissão de Educação, Cultura, Turismo e Esporte, vereador Ronaldo Pipas ressaltou a importância da Comissão e solicitou aos representantes da Delegacia de Ensino que fizessem a explanação sobre os projetos existentes na Rede Estadual de Ensino, entre eles as Campanhas “Escola Sustentável parceira do Programa Nascentes” (2015) e “#AprenderParaPrevenir (2016 e 2017). Também mencionaram o “Programa Conferência Nacional Infanto Juvenil pelo Meio Ambiente” em 2012, de âmbito nacional, cuja finalidade é o fortalecimento da COM-VIDA na escola e promover a inclusão socioambiental e sociopolítica. O processo iniciou-se em 2012, com o treinamento dos professores para mobilização das escolas. Das 11 (onze) escolas estaduais participantes, 04 (quatro) conseguiram se cadastrar e receber recursos do MEC: Deputado Claro César, Gabriela Marcondes, Ismênia Monteiro e Ryotti Yassuda, todas com projetos ambientais que obtiveram êxito em sua execução.

Outro projeto mencionado foi “Plataforma Edukatu”, com parcerias entre a Escola Yolanda Bueno, ONG Akatu e Sabesp. Neste projeto foram desenvolvidos trabalhos na área de hortaliças e através da plataforma interagem com escolas de vários municípios.

Também apresentado pelos educadores, o “Programa # Aprender para prevenir” consiste em formar agentes multiplicadores da Defesa Civil dentro das escolas e os alunos são despertados à conscientização dos fatores de riscos de acidentes e desastres. Os professores citaram como exemplo os problemas enfrentados no município de Campos do Jordão.

Na sequência da reunião, o representante da Defesa Civil, Miguel Vieira Machado, salientou “a importância de uma boa receptividade nas escolas para realização das palestras”. Ele citou, ainda, que a Defesa Civil tem dificuldades em trabalhar com a prevenção, pois a burocracia para liberação de serviços é grande. Miguel exemplificou o caso de uma poda e corte de árvores, onde os laudos são demorados e quando são expedidos a população nem sempre concorda com o ato. Em seguida, o vereador Ronaldo Pipas relatou o caso da “Escola Dirce Aparecida Pereira Marcondes” que, após laudo da Defesa Civil apontando risco iminente, esperam, ainda, pela liberação/autorização do Estado para a poda.

Já o Diretor de Meio Ambiente, Prof. Frederico Gama observou que nos casos das Escolas Estaduais, o município apenas apresenta um laudo, solicitando apoio da Defesa Civil e protocola na escola, sendo o Estado o responsável pelas demais providências. Gama enfatizou que esse procedimento foi orientação do TCE - Tribunal de Contas do Estado. Por fim, Miguel Machado relatou que a árvore de grande porte localizada na Praça Monsenhor Marcondes também está condenada e oferece risco iminente. “Mas devido a parte burocrática, as providências estão paralisadas”, concluiu.


Em seguida, a palavra foi concedida à Diretora de Trânsito, Luciana Viana. A dirigente municipal comentou que os projetos educacionais existem desde a criação do DEPTRAN e salientou que “a busca de Educação deve ser constante”. Ela elencou os programas: Maio Amarelo, Semana Nacional do Trânsito, Cidade Mirim e Pé na Faixa. Luciana Viana esclareceu que os programas existentes atingem cerca de 776 alunos e 14 escolas. “Os agentes de trânsito realizam visitas nas escolas uma vez por semana e as crianças do 4º ano tem orientações teóricas e práticas sobre o trânsito”, finalizou.

Por sua vez, o vereador Ronaldo Pipas propôs a criação de uma lei instituindo o Programa Pé na Faixa e o planejamento de uma “mega operação de conscientização”, envolvendo todos os parceiros e envolvidos nos serviços ambiental e de trânsito, incluindo a mídia local e empresas privadas. Ele sugeriu, ainda, a participação dos alunos do Estado e Município na próxima reunião da Comissão e os membros representantes de cada Poder afirmaram que “devem estudar essa viabilidade”. Ao final, Ronaldo Pipas agradeceu a presença de todos e informou que a próxima reunião da Comissão de Educação, Cultura, Turismo e Esporte será realizada no dia 18 de agosto, às 8h30 no mesmo local.