Relatório da Saúde do 2º quadrimestre é apresentado em Audiência Pública na Câmara de Pindamonhangaba

por Robson Luis Monteiro publicado 29/09/2017 10h33, última modificação 29/09/2017 10h33
Durante a reunião aberta, dirigentes da Secretaria de Saúde e vereadores discutiram questões como falta de medicamentos e de médicos em UBSs de Pindamonhangaba
Relatório da Saúde do 2º quadrimestre é apresentado em Audiência Pública na Câmara de Pindamonhangaba

Relatório mostrou a situação da Saúde em Pindamonhangaba até o final de agosto de 2017

A Câmara de Vereadores de Pindamonhangaba realizou nesta quinta-feira, dia 28 de setembro, às 15 horas, a Audiência Pública para a apresentação do Relatório Detalhado do Quadrimestre Anterior (RDQA) referente ao 2° quadrimestres de 2017, da Secretaria de Saúde e Assistência Social de Pindamonhangaba. A reunião pública – que durou cerca de 1h30 - foi presidida pelo vereador Carlos Moura – Magrão (Presidente da Câmara/PR) e contou com as participações dos vereadores Jorge Pereira Alves – Jorge da Farmácia (PR) e Ronaldo Pinto de Andrade – Ronaldo Pipas (PR), da Secretária de Saúde e Assistência Social de Pindamonhangaba, Valéria dos Santos, da Diretora de Assistência Farmacêutica e Saúde Bucal, Mariana Prado Freire, da Diretora Administrativa da Saúde e Assistência Social, Lucélia Rodrigues Soares, da Gerente de Saúde, Eliana Wolf e da Presidente do Conselho Municipal de Saúde – COMUS, Irene Ribeiro.

Ao iniciar a reunião, o presidente da Câmara, vereador Carlos Moura – Magrão agradeceu a presença de todos e concedeu a palavra à Diretora de Assistência Farmacêutica e Saúde Bucal, Mariana Prado Freire para a apresentação das ações, dados, números, índices e percentuais contidos no relatório detalhado do 2º quadrimestre de 2017 da Secretaria de Saúde.

Entre outras ações e atividades, Mariana informou que houve a “prorrogação do Convênio com Santa Casa de Pindamonhangaba até 05/11/2017, a mudança da administração do Pronto Socorro Municipal em 06/05/2017 para ABBC – Associação Brasileira de Beneficência Comunitária por meio do Processo de chamamento 001/2017 e a descentralização da marcação de exames e consultas especializadas para as unidades de saúde através do agendamento do SISREG – Sistema de Regulação”. Ela confirmou também a realização da 8ª Conferência Municipal de Saúde em conjunto com COMUS nos dias 25 e 26 de agosto e a inauguração da UBS do Azeredo em 28 de agosto.

Quanto as “Urgências e Emergências”, a diretora da Secretaria de Saúde esclareceu que foram feitos 57.928 Procedimentos com finalidade diagnóstica, 166.699 Procedimentos clínicos e 435 Procedimentos cirúrgicos, totalizando investimentos de R$ 1.170.071,73.

No item “Produção Hospitalar” incluindo as internações, a representante da Saúde observou que 1.650 Procedimentos Clínicos (com custo de R$ 1.613.553,18) e 1.111 Procedimentos Cirúrgicos (R$ 823.337,84), além de 01 Transplante de órgãos, tecidos e células (R$ 1.143,63) totalizando o valor de R$ 2.438.034,65.


Consultas especializadas e exames

Na apresentação dos dados sobre consultas especializadas, Mariana Prado informou aos presentes um dado preocupante: das 27.880 consultas agendas somente 21.052 foram confirmadas e realizadas, gerando um percentual de cerca de 33% de faltas, ou seja, 6.828 agendaram consultas e outros procedimentos e não compareceram ao dia e horário marcados com os profissionais da saúde de Pindamonhangaba. A produção deste item refere-se aos seguintes médicos especialistas: Ortopedista, Oftalmologista, Tisiologista, Infectologista, Nefrologista, Endocrinologistas, Hematologista, Cardiologista, Dermatologista entre outros. Quanto aos exames, no 2º quadrimestre (que compreende os meses de maio, junho, julho e agosto), a Secretaria de Saúde realizou 24.830 exames, com destaque para 9.394 Radiografias, 2.378 Eletrocardiogramas, 5.245 Ultrassonografias e 279 Ressonâncias Magnéticas.

Indicadores de Saúde da População

A Diretora Mariana Prado Freire ainda mostrou aos vereadores e ao público presente os indicadores de saúde da população cujo objetivo é promover o cuidado integral às pessoas nos ciclos de vida (criança, adolescente, jovem, adulto e idoso), considerando as questões de gênero, orientação sexual, raça/etnia e situações de vulnerabilidade na atenção básica e nas redes de atenção à saúde.

A taxa de mortalidade infantil em Pindamonhangaba nesta quadrimestre foi de 13,80 por 1000 nascidos, ficando acima da média de 11 estipulada para 2017. Outro dado significativo é que não houve morte por dengue na cidade. Foram 88 casos notificados, sendo 6 confirmados e 82 descartados, sem registro de óbito.

No caso de notificações epidemiológicas e sanitárias, o município teve 35 casos de gripe “influenza” registrados e somente 1 confirmado. Em relação à “Tuberculose” foram 14 notificações e todos foram confirmados.


Despesas e Receitas

Após a apresentação da diretora Mariana Prado, o presidente da Casa, vereador Magrão concedeu a palavra à Gerente da Secretaria de Saúde, Eliana Wolff que relatou os dados e números contidos no “Relatório Gerencial/Financeiro”.

Sobre os recursos aplicados no período, Eliana salientou que do orçamento da área de Saúde de 2017 (R$ 140.042.000,000) foram empenhados R$ 102.636.557,40, sendo que R$ 82.602.869,86 foram de despesas liquidadas (pagas) até o final do 2º quadrimestre. Segundo ela, de acordo com a Lei, o município deveria aplicar o percentual de 15% na Saúde, ou seja, um total de R$ 30.553.585,75 mas já investiu R$ 72.955.001,53 perfazendo um total de 35,82% do orçamento. Eliana garantiu que só com a folha de pagamento dos profissionais de saúde, o total foi de R$ 39.191.127,42. O que também chamou a atenção dos presentes foi questão das faltas de funcionários ao trabalho. Eliana Wolff frisou que no quadrimestre o Setor de Recursos Humanos registrou 7.069 faltas integrais, ou seja, o funcionário deixou de trabalhar o dia todo.

Ao final das apresentações houve questionamentos pontuais dos vereadores Jorge da Farmácia e Ronaldo Pipas e também da Presidente do COMUS, Irene Ribeiro. Em seguida, a Audiência Pública foi encerrada pelo vereador Carlos Moura – Magrão.